segunda-feira, novembro 07, 2005

Nada Encavacados

Foi com algum espanto que ontem folheei o Diário de Notícias, enquanto bebia o meu café à beira-mar. Este espanto deve-se à notícia que encontrei, cujo título era "Juventude Popular contra Cavaco Silva".
Já sabia que a JP estava reunida em Conselho Nacional, em Estremoz, mas confesso que não esperava a votação em contrário àquela que é a oposição oficial do CDS/PP, manifestada por Ribeiro e Castro e por outros democratas-cristãos, solidária com a candidatura de Cavaco Silva às Presidenciais de Janeiro do próximo ano.
De acordo com a notícia, que mencionava como fonte o actual líder da JP, João Pinho de Almeida, dos 97 conselheiros nacionais, 61% votaram contra a candidatura de Cavaco, enquanto que os restantes 39% se manifestaram a favor, respondendo afirmativamente à pergunta "Concorda com o apoio político e institucional à candidatura de Cavaco Silva?". Já desde o Conselho Nacional do partido que a JP se batia por levar esta questão a referendo interno, algo que acabou por não acontecer.
Felizmente, o presidente da JP garante que a questão presidencial no CDS/PP está encerrada e que não será posta em causa pelos jovens populares, apesar destes não se reverem nesse apoio.

Do meu ponto de vista, o mais grave vem depois. "Para os mais jovens, Cavaco Silva representa mais oportunidades perdidas que ganhas". São palavras de João Almeida. Este ressalva ainda que a JP "decide mais em função da exigência do que de algum conformismo". Não creio que seja censurável que uma juventude partidária tome uma posição contrária àquela que o seu partido, todavia, essa posição deve ser lúcida, esclarecida e devidamente fundamentada. Eu gostava de lembrar a João Almeida e a outros jovens populares (e desculpem-me aqueles de quem sou muito amiga) que foi durante os governos do Prof. Cavaco Silva que mais avanços se realizaram no domínio das políticas de Juventude para Portugal, daí a garantia que ele dá aos jovens, assegurando a estabilidade interna, mas tendo a capacidade de olhar ousadamente para o futuro.
Cavaco Silva não é perfeito, como qualquer ser humano. Comete erros, toma sábias decisões, também se engana, tem emoções, pensamentos, coisas boas e coisas más como qualquer um de nós. Não obstante, dentro do leque de candidatos presidencias não consigo encontrar tantas e tão boas qualidades nos restantes como em Cavaco. E creio que a JP também não encontra. Então sabendo, de antemão, que estes são os principais candidatos a disputar a corrida a Belém, quem apoia a JP? Ninguém? Então, por sua vontade nenhum dos candidatos merece ser eleito e ganhar esta disputa? Quem seria o futuro Presidente da República, numa visão de que "nenhum deles merece o nosso apoio"? Não consigo encontrar a resposta para esta pertinente interrogação, mas creio que a posso encontrar nos 39% dos conselheiros que votaram no sim. Esses sim, estão conscientes de que é altura da direita e do centro-direita se unirem e se mobilizarem em torno da candidatura do Prof. Cavaco. Pessoalmente, não me revejo em nenhum dos outros candidatos: Alegre, Soares, Jerónimo ou Louçã.

Gostava apenas de lembrar a alguns, porque muitos éramos crianças na época dos governos do Prof. Cavaco (eu era), que foi durante os seus governos que foi criada a rede de turismo juvenil - pousadas de juventude, a rede de informação descentralizada - delegações regionais do IPJ, o Cartão Jovem e a Política de Habitação Jovem. Também, pela primeira vez, se reflectiu na orgânica do Governo a importância estratégica da Juventude. Num cômputo geral, creio firmemente que se sobrepõem as boas medidas que tomou a algumas menos boas, é pelo lado positivo do "copo meio cheio" (e não "meio vazio") que gosto de ver as coisas. É também por isso que a JSD apoia incondicionalmente esta candidatura. Gostaria eu também que a outra juventude partidária tivesse uma opinião similar e um presidente que mantesse a coesão entre a direita, sobretudo nestes embates importantes. É que é nestas alturas que se vê com clareza quem tem perfil de liderança... talvez a JP já esteja a merecer um novo presidente, porque os grandes impulsos dão-se com as novas lideranças!

0 Comentários:

Enviar um comentário

<< Home